O enigma das Cifras de Beale

Considerada como um dos grandes mistérios criptográficos do mundo, as cifras de Beale continuam chamando a atenção de diversas pessoas, principalmente por que as três mensagens ali contidas revelam a localização de um suposto tesouro enterrado no estado de Virgínia, nos EUA.

Segundo a lenda, a série de mensagens foi deixada por Thomas J. Beale, em 1822. A primeira das mensagens indica a localização do tesouro. Somente a segunda mensagem foi decifrada, e o seu conteúdo é a descrição do tesouro. A terceira mensagem revela os herdeiros de Beale. De acordo com a segunda mensagem, o valor do tesouro é estimado em 20 milhões de dólares, com a cotação atual.

Tudo o que sabemos a respeito de enigma de Beale é que tudo começou através de uma publicação com mais de 20 páginas publicada em 1885, cujo título era “The Beale Papers”, por autor que preferiu manter o anonimato. Segundo o folheto, uma equipe de aventureiros liderada por Thomas Beale acumulou uma grande fortuna em ouro enquanto viajava por Santa Fé, no Novo México. Os 30 membros do grupo de expedição teriam enterrado todo esse tesouro em algum local na Virgínia, provavelmente no condado de Bedford.

Beale teria entregado para Robert Morriss, dono de um hotel em Lynchburg, na Virgínia, mensagens protegidas em uma caixa de ferro. Beale explicou em uma carta no começo de 1822 que os documentos entregues faziam referência ao tesouro. Ele pediu para o homem, que era seu amigo, para guardá-la pelos próximos 10 anos, à menos que ele não voltasse de uma viagem. A carta ainda mencionava que um amigo seu tinha a chave para decifrar as mensagens, e que mandaria para Morriss posteriormente. Contudo, essa era a última vez que Beale dava sinal de sua existência. Morriss nunca recebera a chave, e decidiu por si só abrir a caixa lacrada e decifrar o documento, em1845. Sem obter resultados, ele deu a caixa e as mensagens para um amigo. Esse amigo era o autor do folheto que divulgara a história.

Das 3 páginas, somente uma delas foi descriptografada pelo misterioso amigo de Morriss. Ela detalhava o tesouro, como já dito, mas não a localização dele. O método de cifra usado nas mensagens consiste em usar um texto-chave, e esse texto era a Declaração de Independência dos Estados Unidos da América, cuja cópia estava com o amigo de Morriss.

Primeira Mensagem

 Segunda mensagem (decifrada)


 ”Eu depositei no condado de Bedford, a seis quilômetros de Budford, em uma escavação ou cripta, cerca de 1,80 metros abaixo da superfície do solo o seguinte conteúdo, tudo pertencendo às partes cujos nomes serão dados no texto número 3. O primeiro depósito consiste em mil e quatorze libras de ouro e três mil, oitocentas e doze libras de prata, depositadas em novembro de 1819. O segundo depósito foi feito em dezembro de 1821 e consiste em mil novecentas e sete libras de ouro e mil duzentas e oitenta e oito libras de prata. Também há jóias obtidas em St. Louis em troca da prata, para reduzir o peso do material transportado, valendo 13 mil dólares. Tudo está seguramente acomodado em potes de ferro com tampas de ferro. A cripta encontra-se forrada com pedras, os potes permanecem sob pedras e mais pedras. O texto número 1 indica a exata localização da cripta, desse modo não haverá dificuldade em encontrá-la.”

Terceira mensagem  

Vários especialistas tentarem decifrar os códigos, sem sucesso. Até hoje muitas pessoas ainda acreditam que possam encontrar o tesouro de Beale. Anualmente, o condado de Bedford recebe muitas visitas de pessoas de todos os cantos dos EUA. Com o dinheiro dessas pessoas, algumas empresas investiram em equipamentos que possam ajudar na localização do suposto tesouro.

Quem não deve gostar muito dessa história são os fazendeiros da região, que constantemente veem suas propriedades invadidas e seu terreno destruído. E você, consegue decifrar o código?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s