Viagem no tempo – O Paradoxo do Avô

Supondo que pudéssemos voltar no tempo, haveria algumas situações no mínimos estranhas. E a mais conhecida delas é conhecida como o paradoxo do avô.

O paradoxo consiste da seguinte maneira: uma pessoa viaja de algum modo para o passado e decide matar seu avô antes dele conhecer a esposa dele, ou seja, sua avó. Desse modo, a existência dessa pessoa logo torna-se impossível, pois você não poderia ter nascido.

Aí nasce o principal paradoxo da viagem para o passado, pois surge um conflito lógico a partir do momento em que você altera os acontecimentos do passado, seja lá o que for. O mínimo que você altere nesse passado, geraria consequências inimagináveis, é a Teoria do Caos em ação. Qualquer movimento (ação) poderia mudar o curso da história.

Supondo que se consiga voltar no tempo, alguns cientistas acham que é impossível mudar o passado, você só poderia observá-lo, sem realizar qualquer ação. Mas há uma outra teoria, que pode resolver esse paradoxo (ou criar inúmeros outros).

A solução pode ser os infinitos universos paralelos. Nesse exemplo, quando a pessoa mata seu avô, ela vai para um universo paralelo, ou melhor, nesse universo paralelo essa pessoa nem existiria, pois nunca teria nascido. Um exemplo menos trágico seria se uma pessoa voltasse no tempo e escolhesse fazer outro curso na faculdade. Logo, ela conheceria outras pessoas, encontraria um par, teria filhos, tudo isso em outro universo. No universo onde a pessoa voltou no tempo, as ações permanecem inalteradas, e o avô da pessoa e a própria pessoa continuariam existindo.

Eu sei, é difícil de entender, é algo totalmente ilógico e inimaginável, além de nossa compreensão. Mas há ainda outras teorias mais simples de se entender.

Uma delas afirma quando voltamos no tempo, logo nossas memórias do futuro são apagadas, e passamos a viver exatamente o mesmo que vivemos antes de voltar no tempo. Mas as nossas ações seriam as mesmas que fizemos antes? Bem isso acaba dando em outro paradoxo… Deixa pra lá…

Uma outra teoria elaborada pelo cientista norte-americano Kip Thorne, diz que os cálculos matemáticos demonstram que alguém que volta no passado nunca poderia estar uma posição de interferir no futuro. No exemplo anterior, a pessoa jamais encontraria o avô, ou então, se o encontrasse e tentasse atirar nele, sempre erraria o tiro. Avô e neto seriam como ímãs que se repelem.

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. O paradoxo do avô é uma grande bobagem e não prova que não é possível viajar no tempo, diante do axioma de que não existe efeito sem causa. Isso quer dizer o seguinte: Se alguém já existe, no caso o neto (efeito),
    mesmo se conseguisse viajar no tempo e encontrasse o avô (causa), por mais que tentasse jamais conseguiria eliminar o seu ancestral, que sempre sobreviveria!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s